Associação da competência motora com a atividade física, estudo longitudinal em crianças

Título: Associação da competência motora com a atividade física, estudo longitudinal em crianças

Autor: Sousa, José Florêncio

Orientadores: Lopes, Vítor P.

Descrição: Dissertação de Mestrado

Data:  2013

URI: http://hdl.handle.net/10198/8365

Resumo:

Objetivo: Este estudo teve como objetivo analisar longitudinalmente a influência da competência motora nos níveis de atividade física (AF) das crianças, isto é, a proficiência em habilidades motoras e os níveis de coordenação motora foram estudados como preditores dos níveis de AF das crianças num espaço temporal de 4 anos. Métodos: Estudo longitudinal que decorreu entre o ano de 2009 e 2012, com uma amostra de 98 crianças do concelho de Bragança. No início do estudo a amostra era constituída por 24 crianças com seis anos de idade, 40 com sete anos e 34 com oito anos, que foram seguidas ao longo 4 anos consecutivos, realizando-se avaliações anuais das variáveis antropométricas, da AF, da coordenação motora e das habilidades motoras fundamentais. Foi utilizado o pedómetro como instrumento objetivo para avaliar a AF, a bateria Körperkoordination Test für Kinder (KTK) para avaliar a coordenação motora e a bateria Test of Gross Motor Development, Second Edition (TGMD-2) para avaliar as habilidades motoras fundamentais, constituídas por habilidades de controlo de objetos e habilidades de locomoção. Para a análise dos dados recorreu-se à modelação hierárquica ou multinível, com o intuito de determinar os preditores da AF, através do sucessivo ajustamento de cinco modelos. Resultados: O nível de AF das crianças diminuiu significativamente ao longo do tempo. No início do estudo as raparigas tinham um nível de AF significativamente inferior ao dos rapazes. A magnitude das diferenças no nível de AF entre rapazes e raparigas não se alterou significativamente ao longo das observações. Os níveis de coordenação motora e a proficiência das habilidades de controle de objetos não foram preditores da AF, enquanto que a proficiência das habilidades de locomoção foi o único preditor significativo da AF. Verificou-se uma grande percentagem de crianças que não cumpriram as recomendações mínimas do número de passos diários, e esta situação tende a agravar-se com o aumento da idade das crianças, em especial nas raparigas. Conclusões: As habilidades motoras de locomoção foram um preditor significativo dos níveis de AF das crianças ao longo de 4 anos.

 

Trabalho na íntegra:

https://bibliotecadigital.ipb.pt/bitstream/10198/8365/1/Disserta%C3%A7%C3%A3o%20Flor%C3%AAncio.pdf

Deixe uma resposta

5 + quatro =